quinta-feira, 8 de abril de 2010

Nota do SINDSERPUMP

Depois de ter sido deliberado em assembléia realizada nesta segunda-feira (05) pelos professores da rede municipal de ensino, o SINDSERPUMP decidiu realizar uma parada reivindicando o terço restante do piso nacional do magistério e a implementação do plano de Cargos, Carreiras e Salários do Magistério (PCCRM).

A luta pelo plano de carreira do magistério vem desde 2006 quando o gestor público era Possidônio Queiroga. Foram tempos difíceis, de muita luta e de pouco diálogo. Com poucos resultados e salários atrasados, onde o servidor era constantemente desrespeitado, o que acarretou em várias ações contra a administração da época.

O SINDSERPUMP sempre trouxe junto com sua bandeira de luta, o diálogo e em seus ideais a valorização do servidor público municipal. Em 2009 uma mudança de governo trouxe a esperança de melhoras para o servidor, mas não a certeza de que a militância sindical acabasse.

Na administração da prefeita Evilásia Gildênia, os salários foram normalizados, o diálogo entre sindicato e a administração mantido e o PCCRM elaborado. Como a luta não acaba, as melhorias foram surgindo e o Piso implantado. Piso esse que teria que ser implantado desde Janeiro, porém por motivos financeiros, vínhamos mantendo negociação com a administração municipal, onde as divergências financeiras não permitiram chegar num consenso entre a classe e o poder executivo. Por um lado se alega a falta de recursos e por outro a classe não abre mão de um piso integral e de um plano de cargos, carreiras e salários, o que só vem a beneficiar a categoria.

Por isso, tivemos a iniciativa de realizar uma movimentação para cobrar do poder público o que é nosso de direito, que é o Piso e o Plano. Desta forma, percorremos as principais ruas de nossa cidade com o objetivo de sensibilizar e agilizar as decisões do executivo para que a lei do piso venha a ser cumprida.

Mesmo buscando nossos direitos queremos agir com responsabilidade, sem trazer grandes prejuízos para o ensino e a aprendizagem do nosso município, mas que isso não depende só da classe, mas também das ações da prefeita Evilásia.

"A manifestação foi um sucesso, e neste dia 10, esperamos que a administração revise o que propôs sobre o Piso e Plano nacional do magistério e atenda as reivindicações da categoria. Todos ganharão com isso, alunos, professores, administração e a população". DISSE A PRESIDENTE DO SINDICATO, VEREADORA lUCÉLIA rIBEIRO.

  • Mensagem do SINDSERPUMP levada às ruas de nossa cidade

A construção de um sistema de ensino de qualidade começa com a valorização do trabalhador e da trabalhadora. Sem eles, o processo educacional não funciona.

Nesse sentido, para que o nosso município ofereça condições dignas aos professores, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Patu, empunha a sua bandeira de luta pela definitiva implementação do Piso Salarial integral e ao mesmo tempo do plano de cargos, carreiras e salários.

Em face da atual conjuntura, nossa entidade sindical entende que só através da valorização profissional dos docentes, é que a educação, gradativamente melhorará a sua qualidade.

Algumas imagens

Assessoria
Professores caminharam pelas ruas da cidade

Presidente do Sindicato, Lucélia Ribeiro, falou em nome da categoria

2 comentários:

nivania disse...

Olá.. como a vereadora Lucélia Ribeiro mencionou "A luta pelo plano de carreira do magistério vem desde 2006 quando o gestor público era Possidônio Queiroga", não me vem a memoria nenhuma manifestação com exito durante esta época estando presente toda a categoria, não é está sendo contra a este tipo de movimento, mas devemos tomar uma posição há muito tempo, até por que temos diversos direitos que estam nos sendo tolhidos, como décimos pela metade, e outras percas salarias. O que esperamos é na base de diálogo possamos resolver que é o objetivo de nós professores, porém não havendo prejuizos a classe necessitada que são nossos alunos...

Desejo Sucesso a nossa mobilização, Nivania Moura!

Alyaninha disse...

De acordo com a nossa Constituição Federal, em seu artigo 9º e a Lei nº 7.783/89 asseguram o direito de greve a todo trabalhador, competindo-lhe a oportunidade de exercê-lo sobre os interesses que devam por meio dele defender, porém sabemos que nem sempre este é o caminho mais curto, e sim o mais prejuidicial a população... Aconselho à vcs professores boas expectitativas neste movimento, e estando sendo cientes que o objetivo principal é a EDUCAÇÃO dos alunos, que veio melhorar nesta gestão da Prefeita Evilásia Gildênia, qual seja, pagamentos corretos em dias previstos, merenda de boa qualidade, entre outros beneficios.

Alyane Moura.